quinta-feira, 29 de abril de 2010

O Jogo Part. 2

Pela primeira vez em muito tempo ele passou o resto da noite sozinho.Ainda encostado no balcão do bar, ainda meio bebado, e ainda com aquela garota com quem tivera uma breve conversa.Tentava arrumar algum motivo para ela ter tratado ele daquela maneira,afinal, era ELE não é?E ele não costumava levar foras.
A explicação era obvia: ela tinha namorado.Perai, não tinha não, nada de aliança no dedo! Uma explicação a menos.Ou então ela não gosta de homens...não, ela não parecia ser assim.Ou - pensou ele por ultimo - ela simplesmente não gostou de mim! Não pode ser...
[...]
Passaram-se três dias e o pensamento dele ainda estava nela,principalmente ao lembrar do seu sorriso travesso.Ele nunca havia reparado tanto no sorriso de uma garota,nem visto algum tão belo quando o dela.
Seus amigos haviam percebido mudanças.Ele estava mais calado, e não queria sair a noite. "Não estou afim hoje" foi sua resposta para o mesmo convite depois de quatro dias.Tinha algo errado, sair com os amigos era o que ele mais amava fazer, pelo menos até aquele sábado a noite.
[...]
Uma semana depois ele estava na mesma danceteria, e pra ser mais exata, no mesmo balcão.Esperava alguém com quem não possuia compromisso ou hora marcada, mas esperava feliz.Olhava para os lados, a procura de alguém que vira somente uma vez, somente alguns minutos e mesmo assim guardara seu rosto para a eternidade.
Lá estava ela na pista,dançando como se não tivesse mas ninguém ali.Só ela e a música.
Então ela o vio.Sim, com certeza era o bonitão meio bebado da semana passada.Saiu da pista e foi ao seu encontro.
- Está me seguindo é?
- E se estiver?
- Então é melhor ter boas respostas hoje.
Alguns olhares, e um sorriso por parte dele.
- Sim , eu tenho.Então me diga, qual seu nome?
- Não achou na lista?
- Sim, achei. Mas só o sobrenome, é 'Perfeição' né?
- Uau, essa foi a pior cantada que já recebi. - respondeu divertida pela resposta.
- Quer dançar?
- Me de um bom motivo.
- Você é a mais bonita da pista, não precisa de mim.Mas eu queria te dar um motivo a mais para brilhar.
- Vem bonitão.
Dançaram , e conversaram sem usar muitas palavras, apenas as necessárias.A sintonia deles parecia tão perfeita que mal precisavam mexer seus lábios para diálogarem.
Ele não sabia o que era aquilo tudo, mas gostava.
Quando deixaram a pista, mal se aguentavam em pé de cansaço.Se encostaram então naquele tão conhecido balcão e pediram dois Ice's.Pela primeira vez conversaram, e conversaram.No pensamento dele, ela era incrivel.No dela, ele era um bobo, mas adorável.
- Ei cara, vai ficar a noite toda com essa daí? Está esquecendo do nosso Jogo?
O que ele pretendia dizendo aquilo? Falar perto da garota sobre O Jogo.
- Depois a gente se fala cara.
- Está bem. Mas quando quiser tem uma loirinha ali gamada na sua falow? Até depois.
Silêncio.
O Jogo. Do que eles estavam falando? Que jogo era esse? Como assim 'vai ficar a noite toda com essa aí'? Quem ele pensava que era para se referir a ela daquela maneira?
- De que jogo ele estava falando?
- Nada.É uma bobeira nossa...ignore ele.
- Não, você está mentindo.Não sou idiota.
Suspirou.
- Não, não é.Está bem, vou lhe contar...
Contou.Contou tudo que significada o jogo, contou como não conseguia esquecer ela desde o sábado passado e como queria deixar aquele jogo.Como não gostava mais daquilo.Como queria alguém para quem ligar todos os dias, e estar lá por ela, e ter ela lá para ele, queria comprar ursos de pelucia no dia dos namorados e dar presentes, e receber; queria tirar fotos, ter lembranças a mais do que essas, queria um lugar seguro.
Ela o ouviu, prestando atenção - ou tentando - e querendo acreditar naquilo, mas não podia.Simplesmente impossivel.
- Vamos esquecer isso por hoje. - disse por fim ela mudando de assunto.
Assim a noite passou, e eles continuaram juntos.Bebendo, conversando, contando histórias.Em alguns minutos pareciam se conhecer a anos, amigos de infancia.Amigos que certamente passariam disso, e namorariam.Quem sabe, casariam.Era assim que ele pensava no momento, assim que ele deixava sua mente ser povoada por ideias que nunca haviam lhe ocorrido: assim que ele planejava sair do jogo.
Ela ainda pensava nessa história, no que ele dizia.Seria verdade? Por mais que tentasse a duvida permanecia ali, martelava em sua cabeça já cansada de raciocinar sobre o assunto. Então desistiu.Deixou-se levar por aquele estranho bom-lobo-mau que estava em sua frente e parecia totalmente inofensivo.
- Vamos eu te levo pra casa.
Quase não restava ninguém alí.Somente aqueles que não dormiam, bebados e alguns junkies.Era hora de ir.
Ao chegarem no carro ele abriu a porta para ela, coisa que não costumava fazer para ninguém, gentileza nunca fora um de seus dons.
- Vamos!
- Não.
- Como assim? Eu disse que vou te levar para casa...
- Não, quero dizer que é Fim de Jogo para Você.

Continua...

Iza Costa

3 comentários:

Thaais B. disse...

aai, eu quero continiação .. *-*

@rayraduarte disse...

Game over *------*
continua iza, tá mt bom *----*

Gatorade CA disse...

eu quero continuação, estou louca por esta historia, continua, esta mais do que perfeita!!

Postar um comentário