quarta-feira, 28 de abril de 2010

O Jogo.

E ele nunca se apegava.
Não, nunca.Para ele apegar era sinônimo de prisão, e ele gostava da sua liberdade.Cada dia da semana com uma...talvez pareça exagero, mas não é.Ele possuia charme e beleza o bastante para isso, se não, lábia.Ah sim, lábia ele tinha de monte.Já partira muitos corações dessa maneira, usando, brincando, abusando das palavras e dos sentimentos que nunca sentira.Enganava sem dó nem piedade, desde garotinhas até mulheres: ele definitivamente sabia jogar.
Era assim que ele e seus amigos falavam disso tudo. "O Jogo" .As regras eram simples: 'pegue' o máximo de mulheres e depois descarte; em hipótese alguma se apaixone ou você estaria fora, você perderia.

Era só outra balada.
Mais música, bebidas e garotas.
Já se somavam 4 garotas naquela noite até o momento."É só o começo" ele dizia para si e para os amigos.Aliás, ele dizia claramente mais para os amigos isso, pois sabia dentro de si que aquilo tudo já não importava tanto.
- Vou pegar outra bebida.
Andava como o dono da festa, chamava toda atenção das garotas por perto mas estava tão acostumado que já não ligava.Mas dessa vez algo diferente aconteceu, uma garota ali não olhava para ele,nem para ninguém.No seu egoista e infantil modo de pensar, todas deveriam olhar para ele, mas ele se divertiu com isso. "Sempre é bom um pequeno desafio..."
Naquele momento ele deu inicio a nova partida do jogo.
- Ei, quer uma bebida? Eu pago. - Disse ele sorrindo.
Ela o encarou curiosa.Ele percebeu que ela era realmente bonita.Não dessas belezas deslumbrantes de atrizes americanas, era só bonita.Usava uma calça jeans meio apertada,sandálias de salto alto que quase a deixavam mais alta que ele, uma blusa preta com um decote em V, olhos castanhso e cabelos também pretos.Um corpo atraente.Ao todo, bonita.
- Não , obrigada. - respondeu a garota virando o rosto e levando uma garrafa de cerveja a boca despreocupada com aquele cara que agora a encarava sem resposta.
Havia muito tempo desde o ultimo 'não' que ele havia escutado e particularmente, não lidava bem com rejeições.Tentou pensar em algo o mais rápido que pode, mas nada vinha a sua mente.'Maldita vodka...' pensou ele já desistindo de encontrar algo útil em sua cabeça e se deixou sorrir encostando no balcão com aquele pensamento.
Ela o fitou novamente.
- Você é o primeiro cara que conheço que ao levar um fora sorri.
- Não estou rindo do não, só de não ter encontrado uma resposta para ele.
Naquele momento ela chegou a sentir um pouco de simpátia por aquele rapaz levemente bebado e com ar de superior que ridiculamente tentava lhe xavecar.
- Então você não está acostumado a levar foras?
- Não, não estou.
- Humildade também não é seu forte pelo visto...
Ele sorriu. Ela tinha razão, humildade não era uma de suas qualidades, mas também,por que seria quando ele tinha tanto para se vangloriar?
- Não , também a resposta para essa é não...
'Que idiota' foi o que ela pensou.Mas não um idiota pelo lado negativo, idiota pelo lado charmoso da coisa...ele não podia ser tão ruim quanto parecia.Ele era até charmoso, pensou ela.Na verdade, ele era simplesmente lindo, só não era o tipo dela.Voltou seu olhar para a festa de novo.
- Não vai me dizer seu nome? - perguntou ele receioso de levar outro fora.
- Está na lista garoto, procura lá.Aliás, seu ziper está aberto gatão.
Disse isso e deu uma leve piscada para ele.E saiu de perto, sorrindo.Ele,apesar do que acabara de acontecer ali, meio constrangido, meio patético, também sorria.
"Quem é essa garota..."

Continua...

Iza Costa

4 comentários:

Anônimo disse...

aaaaah ! qero continuaçãao *--------*

@rayraduarte disse...

quero ler a continuação *-----*

Amanda disse...

eu quero a continuaçããão
muiiiito bom!!!

Aline disse...

Quero Continuaçãoo *----*

Postar um comentário